sábado, 15 de março de 2008

IX - Acerca da troca de e-mails ocorrida em janeiro sobre o documentário “Zeitgeist The Movie”, o qual é objeto de promoção mundial na presente data.

.
.
.

§ 9





I may be paranoid, but no android.
(Radiohead)




E-mails trocados por mim e pelo Gabriel por ocasião do filme Zeitgeist, o qual está sendo promovido mundialmente nesse dia 15/03.

Escrevi em 13/01/2008:
Caro,
Como você sabe eu sou facilmente manipulável, de tal forma que esse filme me pareceu bastante CONVINCENTE.
Zeitgeist - Official Release (Portuguese).
http://pt.wikipedia.org/wiki/Zeitgeist,_o_Filme
http://www.zeitgeistmovie.com/




(...)
But lately ive been blind
You leave me all alone, left in time
You left me here to die, left in time
Leave me all alone, left in time

The arms of time are breaking off
Civilization is on trial
The clocks eliminating time
Do you believe in nothing

But lately ive been blind
Leave me all alone, left in time.



***
Gabriel respondeu em 20/01/2008:

Infelizmente só consegui assistir ao filme ontem.

O filme é bem interessante. Agradeço o envio.
Quanto a questão da religião, os argumentos são bem coerentes, mas parece um grande jogo de "achar coincidências"....assim que são encontradas coincidências astrológica, numéricas ou de qualquer outra natureza, ela nos é apresentada.

Claro, o négocio começa a ficar um tanto sério quanto o número de "felizes coincidências" se torna muito elevado, como é o caso.

Bem, ambos sabemos que a religião é a principal ferramenta de coersão (ou coesão, como preferir) social. Não nos causaria surpresa saber que tudo não passa de uma farsa.

Quanto ao caso dos Estados Unidos, o négócio me pareceu bem mais assustador. Uma conspiração a nivel mundial. Uma grande encenação em que o "mundo é o palco". Parece uma idéia quase louca. O mais louco é que, ao final do filme, não há como discordar da farsa de 11 de setembro. As evidencias são bem claras e convincentes.

Mas aí vem a pergunta: No mundo existem 6 bilhões de pessoas, como é possível uma pequena parcela enganar tamanha quantidade de pessoas sem que a verdade seja revelada? Nenhum erro? Nenhuma falha que faça com que a verdade venha a tona?...Não há mídia que consiga enganar toda a humanidade....ou há?

Está aí um ótimo assunto para debatermos quando voltarmos aos estudos.

Até mais,

Gabriel.

***

Eu respondi em 22/01/2008 (ignorando OSTENSIVAMENTE a última frase da mensagem dele):

Mandei o video para vc pelo seguinte: vc sempre acusa os outros de estar mentindo; como vc reagiria a alguém que acusa os outros de estar mentindo? afinal alguém tem que estar certo (não ser mentiroso): ou que acusa ou o acusado.

O problema é que nós, reres mortais, simplesmente não temos como confirmar a maioria das informações que nos são passadas, de tal forma que o que é verdade e mentira depende mais da CONFIANÇA do que de qualquer outra coisa. Nós confiamos que a mídia noticía o que acontece "de verdade", pois nós não temos como provar ou refutar cada informação que nos é passada.

Um exemplo de como a mídia pode manipular: eu tenho uma revista Carta Capital de março de 2004 cuja manchete é a seguinte: "O EUA grampearam o Alvorada"; no interior da revista há uma entrevista de umas 20 páginas com o ex-diretor do FBI no Brasil na qual ele faz uma série de revelações bombásticas. Foi aberta até comissão de investigação no Senado por causa da reportagem. Pergunta: vc ficou sabendo disso? Se vc não leu a revista certamente não, simplesmente POR QUE TODO O RESTO DA MÍDIA DECIDIU QUE ISSO NÃO ERA IMPORTANTE, que você não precisava saber disso...Porém a mesma revista Veja que simplesmente não reconheceu sequer a suspeita de que isso tenha ocorrido estampou, ano passado, em sua capa a acusação, que depois se mostrou falsa, de que Lula e companhia estariam grampeando o STF...Eu não estou dizendo que a mídia tem que noticiar qualquer acusação como sendo verdadeira, mas perceba que existe uma arbitrariedade em decidir quais acusações são dignas de crédito e quais não são.

Essa é uma das formas pelas quais a mídia pode manipular: pela simples omissão, como está fazendo com essas acusações que aparecem no filme: por que não se debate isso?, por que não se prova que cada uma das acusações é falsa? Como a maior parte das pessoas confia na mídia, é mais fácil simplesmente ignorar os assuntos não convenientes.

Com relação ao fato de que não é possível fazer todo mundo de imbecil todo o tempo, muito me surpreende a sua argumentação, pois nós dois sabemos o quão idiota é a esmagadora maioria das pessoas. Em nosso país há milhões de pessoas cuja ÚNICA fonte da "verdade" é o Jornal Nacional e o Fantástico. Assim fica difícil não ser manipulado...O problema é que quando a verdade vêm a tona apenas algumas pessoas dão crédito a ela (por exemplo: não soa como completa loucura varrida vc realmente acreditar que o governo dos EUA perpretou o 911?; isso porque toda a mídia, na qual você confia noticiou o contrário, e vc é educado para acreditar que os governos, principalmente os do primeiro mundo, são criados para o bem-estar comum; perceba que se isso for verdade é um caso de corrupção muito mais grave que o mensalão ou a máfia das ambulâncias...).

Mas perceba que a maioria das pessoas que trabalha com a mídia também é enganada, ou seja: eles não sabem de nada, eles não são conspiradores (vc viu que o filme mostra um monte de repórtes DA CNN falando NO CALOR DO MOMENTO que os prédios caíram como se tivessem sido demolido; se eles soubessem da verdade e fossem conspiradores eles não fariam isso). Mas o que acontece é o seguinte: a maior parte da mídia simplesmente repassa informações que são fornecidas pelos grandes agências de notícias, que por sua vez repassam o que o governo diz. No exemplo que eu citei há pouco: os mesmos repórtes que achavam que os prédios foram demolidos vão deixar de achar isso, e vão deixar de noticiar isso, quando O GOVERNO afirmar OFICIALMENTE, que os prédios cairam por causa do fogo; eles confiam no governo e repassam a notícia. A Globo, a Veja, etc., elas apenas repassam notícias da CNN, da Reuters e de uns poucos informantes. Perceba que nínguém, na Veja e na Globo, precisa ser um "cospirador", pois eles também são enganados. O Willam Boner e A Fátima Bernardes realmente acreditaram no que diziam quando noticiaram o 911...

Uma das únicas falhas que achei no filme é a seguinte: tá legal, não bateu nehum avião no pentágono e aquele outro que caiu no mato também não caiu...mas ONDE foram parar os aviões que realmente foram seqüestrados (ou os aviões nunca existiram?) e ONDE foram parar as DEZENAS de pessoas, QUE TÊM NOME E PARENTES VIVOS, QUE CHEGARAM A LIGAR PARA ESSES PARENTES AVISANDO DO SEQÜESTRO DOS AVIÕES, onde foi parar toda essa gente, ou elas, seus parentes e suas histórias também nunca existiram?

O fato é o seguinte: quando vc assiste o filme vc fica com essa pergunta: "até onde eu estou sendo enganado?". O surpreendente é que o filme todo pode ser uma farsa bem orquestrada, mas o simples fato de nós não sabermos o suficiente sobre coisas que afetam diretamente as nossas vidas (como o cristianismo e o 911), ao ponto de não sabermos se o filme é falso ou verdadeiro, é preocupante, pois mostra como a "verdade" é frágil e passível de manipulação. Se algumas pessoas, à margem da mídia oficial, fazem um documentário que PARACE sério, que PARECE verdadeiro, a ponto de nos fazer questionar a mídia oficial, então o que é que a própria mídia oficial, na qual tanto confiamos, não é capaz de fazer? Quantos fatos não é capaz de omitir? Quantas versões falsas dos acontecimentos não é capaz de nos passar?

Pelo menos o grande ponto positivo do filme é que ele nos incita a pensar e a questionar, e não a aceitar passivamente tudo que nos dizem.

Abrax.

(...)
You, what do you own the world?
how do you own disorder
Now, somewhere between the sacred silence
Sacred silence and sleep
somewhere, between the sacred silence and sleep
disorder, disorder, disorder

When I became the sun
I shone life into the man's hearts
When I became the sun
I shone life into the man's hearts.


***
Ignorando OSTENSIVAMENTE o meu longo e-mail, Gabriel não forneceu resposta alguma.Nós também não voltamos a falar nesse assunto.
Mas eu ainda tinha algo a dizer. Trata-se do seguinte:

O filme não fala apenas de um fato isolado; ele fala da estatura moral da humanidade, do que o homem é capaz de fazer, até onde pode ele chegar. Se foi possível fazer isso (forjar o 911) uma única vez, então sempre será possível fazer coisas análogas quando as condições o permitirem. Que merda de mundo é esse, afinal?

Quando eu assisti o filme,lá em Janeiro, o contador do Google Video estava em uns 900. Hoje, agora pouco, ele marcava 1266. Das duas uma: ou o Google está mentindo (e você pode imaginar por que, não é mesmo?) ou quase ninguém se importa com isso (o que me chateia embora não me cause surpresa).

Até o meu irmão, Rômulo, que é o único outsider que eu conheço pessoalmente além de mim mesmo, não quiz ver esse documentário pois achou que o conteúdo iria de encontro com novas, espantosas e secretas revelações, descobertas em suas experiências pessoais (sobre as quais prefiro não falar, ao menos no momento), acerca da verdade última das coisas. Ele insiste (não que eu duvide disso) que coisas graves - na verdade gravíssimas - devem ocorrer a partir de 23/12/2012.

Já estamos todos mortos.





***

Tempore, quo cognitio simul advenit, amor e medio supersurrexit.

10 comentários:

Gabriel P. Kugnharski disse...

Interessante sua resposta. Me lembro que assisti a esse documentário, mas também não acreditei em tudo o que ele mostrava não. É como aquela propaganda da gazeta do povo que nos estimula a questionar tudo, viu? Quando acabou, meu pai disse: "E por que tenho que ler esse jornal de merda?" - Ou seja, é como se a tática do comercial se voltasse contra o produto. Então também pensei: Se até o governo e a mídia manipulam, por que não um simples documentário? Sobrou mesmo foi a vontade de questionar tudo.

Duan Conrado Castro disse...

Eu tenho uma relação dúbia que eu tenho com as teorias de conspiração:sou atraído a elas pelo meu senso crítico, mas é pelo mesmo senso crítico que não acredito nelas. Espero postar um capítulo sobre isso nesse blog ainda nesse ano.

Anônimo disse...

http://www.espada.eti.br/carneiros.asp

Algo a dizer sobre?

Duan Conrado Castro disse...

Anônimo,


Bem...trata-se do típico discurso teórico da conspiração (cristão fundamentalista) pós-moderno. A análise do discurso passa por uma série de questões que eu pretendia abordar em um exaustivo capítulo sobre teorias da conspiração (o tão prometido capítulo 118). Já não sei se vou escrever esse texto. Porque ando muito cansado e desanimado para empreender tal tarefa de descosntrução.

Seja como for, é a mesma coisa de sempre: cria-se uma metanarrativa para explicar a ambiência pós-moderna do ponto de vista de um cristão fundamentalista paranóico estudioso do ocultismo: ideologia e utopia (procure um instrutivíssimo livro com esse mesmo nome, autor: Karl Mannheim). Vontade de saber/poder. Construção social da realidade (outro título de livro instrutivíssimo) no espaço heterotópico de uma decadente comunidade interpretativa. Há uma conspiração contra Cristo, conforme já vaticinado no Apocalipse. Eis as provas: painel de informações fragmentadas, citações de citações, símbolos satânicos (absolutamente QUALQUER símbolo exceto os usados pela igreja do teórico da conspiração) Bíblia como fundamento epistemológico, blá, blá, blá.

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

O que posso fazer senão rir? É tudo tão divertido quando se é paranóico. Não estou dizendo que não há uma conspiração...Mas Jesus, nesse eu não vou acreditar nunca, nem mesmo se o Dia do Julgamento acontecer nesse 21/05/11 como vaticina uma dessas seitas cristãs fundamentalistas, baseada, como sempre, em interpretações parciais do confuso texto bíblico e em recortes epistemológicos de informações disponíveis na ambiência pós-moderna.

O fim do mundo, o apocalipse, a redenção. Mais do mesmo: falam isso há milênios (o próprio João Batista fazia parte de uma seita que já estava esperando o fim do mundo). Ideologia e utopia. Padrões se repetindo desde o xamanismo.

Mas a ideologia não é uma versão mentirosa dos fatos, ela é uma versão parcial e invertida...Ou seja, eles (qualquer teórico da conspiração) não estão completamente errados ao badalar os sinos das mudanças e das más notícias. Ditadura tecnotrônica? É bem possível sim. Retorno de Jesus conforme prediz a Bíblia? Isso eu não engulo.

Duan Conrado Castro disse...

O mundo das teorias da conspiração é diversificado, ramificado, complexo. Essa The Cutting Edge é apenas uma das facções...Não é a mais interessante, na minha opinião. No momento eu ando bem mais interessado no David Icke, talvez justamente porque ele elimina definitivamente essa coisa de Jesus salvador e coloca o cristianismo (incluindo esses fundamentalistas) dentro da conspiração. Jesus quer se impor pelo MEDO, e isso eu nunca vou engolir (vide os repetido capítulos ateístas desse blog).

Não acredito que haja uma conspiração...o que há é o milenar jogo do poder. Mas tudo depende de como se define conspiração, claro. É claro que a elite mundial faz planos secretos para o futuro do rebanho, afinal isso faz parte do trabalho dela, trabalho de manutenção do poder estabelecido, o poder dela mesma, ué... Quem está no poder quer mais poder, ou pelo menos quer manter o que tem. Não é uma conspiração, é simplesmente a dinâmica milenar do poder. Só se escandaliza com isso esses ingênuos que gostam de se vitimizar e que não largam por nada no mundo a fé que foi enviada goela a baixo na cabeça deles (o cristianismo) mediante uma lavagem cerebral (sobre a qual eles nunca falam mal: o cristianismo é sempre uma vítima inocente em um mundo dominado por demônios).

É claro que a mídia é satânica, afinal, para essa gente, tudo que não é o cristianismo fundamentalista deles (só Jesus é o único caminho da salvação, blá, blá, blá) é satanismo. É claro que a mídia é inimiga dessas igrejas, afinal são dois sistemas totalitários de colonização mental incompatíveis: o dinheiro que vai para a igreja não vai para a mídia, e vice-versa: isso é um fato social, mas para o cristão paranóico é a prova de que há uma conspiração satânica para levar a cabo a profecias – os planos – do verdadeiro conspirador: Jesus, o criador de toda essa brincadeira escrota e que manipula todos os cordéis (inclusive Satã) desde o começo da criação: é tudo um jogo no qual ele se diverte e no qual tem vitória garantida, não importa o que ocorra.

Que a massa é ignorante e manipulada, isso é fato, não há como quere negar...E quem acredita em Jesus é o quê?

Duan Conrado Castro disse...

A teoria da conspiração, enquanto metanarrativa, acaba tendo que englobar todo o conhecimento humano: história, sociologia, teoria da comunicação, epistemologia, ontologia, psicologia, futurologia, semiótica, filosofia, antropologia, biologia, etnografia, física, economia, geografia, mitologia, ciência política, ocultismo, teoria crítica, etc. Não tenho eu como acreditar que o típico teórico da conspiração realmente estudou tudo isso a fundo: o que ele faz é montar uma metanarrativa com recortes de recortes de recortes. Isso pode até convencer um pouco, afinal não é tudo mentira, é apenas uma simplificação grosseira do que realmente ocorre.

Assim como essa gente necessita acreditar desesperadamente que o mundo foi projetado por alguém, também montam uma teoria da história na qual há uma clara teleologia que aponta em geral para o mesmo criador. Existem muitas teorias da história. Será que essa gente realmente estudou cada uma delas?

Engraçado que nesse texto nem citam a Bíblia, Jesus, Diabo, etc. É um texto laico, poderia ter sido escrito por Alex Jones, ou por tantos outros teóricos da conspiração, qualquer outro representante da decadente e alienada classe média estadunidense (o mundo deles está ruindo, e eles precisam se defender de algum modo, tadinhos...) Assim que opera essa gente: eles pegam as informações que lhes interessam (que confirma as crenças deles), e o resto jogam fora. Filtragem de dados.

Eu não tenho dúvidas que há sistemas de controle e administração das massas. Não tenho dúvida que a mídia, as seitas, o senso comum, a religião, etc. são formas de controle, de administração do recurso humano, do gado (Fazenda Modelo, outro livro..., esse do Chico). Mas daí para inferir que há uma conspiração que planeja exterminar 90 % da população e blá, blá, blá, bem, convenhamos, há um enorme salto (o mesmo tipo de salto que os cristãos usam para “provar” que deus existe com as variantes do argumento físico-teológico para depois inferir todos os dogmas cristãos (ver cap. 64)).

Será que esses teóricos já leram Leviatã? Já leram O Príncipe? Já leram o Discurso da Servidão Voluntária? Se lessem, talvez entendessem qual é a natureza da “conspiração”.

Duan Conrado Castro disse...

Se não viu, veja que divertido: http://rmorais76.blogspot.com/2010/11/ditadura-cientifica-acaba-de-comecar.html

Bem...talvez eu escreva mais no cap 118. Abraço.

P.S.: Sugiro que vc leia o artigo “Matrix ou os dois lados da perversão” de Slavoj Zizek (capítulo final do livro Matrix: bem-vindo os deserto do real)

Duan Conrado Castro disse...

21/05/11: DIA DO JULGAMENTO! ARREPENDEI-VOS ENQUANTO HÁ TEMPO, OH PECADORES!

http://www.ebiblefellowship.com/pt/may21_pt.html

Duan Conrado Castro disse...

Aliás, esse texto da The Cutting Edge que vc, anônimo, indicou me lembrou do texto escrito por um cristão fundamentalista que eu postei no cap. ### 28:

http://outsidercaos.blogspot.com/2010/01/28-escola-de-lideres-duma-igreja.html

Duan Conrado Castro disse...

A questão central que perpassa essas teorias da conspiração e o esoterismo new age é, como eu disse no texto aí em cima (cap 9) a questão da credibilidade e da confiança. Isso é citado pelo Zizek no texto que indiquei como sendo a “desintegração da comunidade comunidade de Habermas". Veja como exemplo o que é dito nesse blog ufólogo-esotérico-conspiracionista (link abaixo): "A credibilidade depositada neles pela Ciência comum e cética, é a mesma depositada em nós que vasculhamos aquilo que eles não querem que saibamos."

Sim, a maioria das pessoas deposita uma fé cega na ciência, essa fé é uma fé nas próprias instituições sociais (escola, academia, governo, mídia, etc.). É essa fé - fé construída e legitimada coletivamente pela comunidade comunicativa - que está ruindo em meio à entropia pós-moderna. A paranóia é uma tentativa desesperada de construir um sentido num mundo em progressiva desintegração. Como diz Zizek no texto citado: "O problema não é que os ufólogos e os teóricos de conspirações regridem a uma atitude paranóica incapaz de aceitar a realidade (social) - o problema, sim, é que essa própria realidade está se tornando paranóica."

http://evoluindo-sempre.blogspot.com/2010/11/homem-afirma-ter-ido-marte-por.html